Começa neste fim de semana o Fórum Mundial da Água


Cenários diversos, do Lago Paranoá ao estádio Mané Garrincha, receberão, a partir deste sábado (17), em Brasília-DF, o 8º Fórum Mundial da Água. Realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul, o evento trianual é uma promoção do Conselho Mundial da Água, desde 1997. A iniciativa busca estabelecer compromissos políticos ligados aos recursos hídricos e foi realizada, anteriormente, nos seguintes países: Marrocos (1997), Holanda (2000), Japão (2003), México (2006), Turquia (2009), França (2012) e Coréia do Sul (2015). O Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – Confea e a Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais dos Creas terão estandes no evento.

Para a sua realização em Brasília, o Conselho Mundial da Água promoveu parcerias com a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal – Adasa e com o ministério do Meio Ambiente, por meio da Agência Nacional de Águas (ANA). A expectativa é de um público de 30 mil representantes de mais de 100 países, espalhados em espaços como o Lago Paranoá, Ponte JK, Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Palácio do Itamaraty, Planetário e estádio Mané Garrincha. Haverá cerca de 215 salas de debate.

22 de março - Período do Fórum Mundial da Água coincide com o Dia da Água22 de março – Período do Fórum Mundial da Água coincide com o Dia da Água

No Mané, o público poderá participar da Vila Cidadã, já a partir deste sábado (17). Com acesso totalmente gratuito e aberto a todos os participantes, o espaço reúne uma vasta programaçãoeducativa e cultural. O Museu do Amanhã, do Rio de Janeiro, apresentará ao público do Fórum o módulo com recursos tecnológicos que mostra os efeitos climáticos provocados pelo aquecimento global.  Um debate sobre a crise hídrica do Distrito Federal está programado para o domingo, a partir de 14h30. Serão apresentadas ainda 60 iniciativas de nove países sobre boas práticas no uso da água. Para participar é exigido apenas um credenciamento prévio que pode ser feito clicando aqui. É nesse local que as lideranças e os profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua poderão compartilhar suas experiências e impressões sobre o evento.

Segurança hídrica mundial
A Organização das Nações Unidas – ONU projeta que dois bilhões de pessoas poderão vivenciar a carência absoluta de água em menos de dez anos. Mas, além de um desafio, o uso adequado das reservas hídricas representa também uma oportunidade estratégica de desenvolvimento, considerando que a cada R$ 1 investido em água e saneamento são economizados até R$ 10 no setor de saúde.

A programação dos painéis de alto nível sobre temas como: diálogo político e científico como chave para superar os desafios hídricos globais e apoiar a tomada de decisões; água e desastres naturais; financiamento de obras de infraestrutura hídrica; investimentos em saneamento e gestão de efluentes; água para a agricultura e produção de alimentos; crises hídricas no Brasil; gestão integrada das nascentes dos rios aos mares; perspectivas de financiamento de investimentos hídricos nas Américas; negócios, água e desenvolvimento sustentável; revitalização da GIRH para a Agenda de Desenvolvimento 2030, entre outros. Haverá ainda fóruns relacionados a sustentabilidade, cidadania, processo político, processo regional e sessões especiais. Confira aqui.

Equipe de Comunicação do Confea